Valparaíso faz ação de conscientização contra o trabalho infantil

Geral

Cerca de 90 crianças e adolescentes, com idades de 06 a 16 anos, participaram da ação de conscientização contra o trabalho realizada em Valparaíso, na última segunda-feira (12). O evento realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, por intermédio da Divisão de Assistência Social e Trabalho aconteceu na Avenida Comercial às margens da BR 040, abrangendo os bairros Morada Nobre e Jardim Oriente.

Fotos: Mizael Santana

De acordo com a diretora Joselene Bastos, a equipe de trabalho foi bem recebida pelos comerciantes. “Nós separamos as crianças em três grupos, todos uniformizados com jaleco e com cartazes e folders de conscientização nacional. As próprias crianças tomaram à frente dos trabalhos abordando os comerciantes e sociedade”, destacou.

A conscientização do dia 12 de junho é específica das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (AEPETI). Segundo Joselene, ainda existem focos de trabalho infantil escondidos e o programa veio para descobrir e findar os pontos existentes. “Se houver focos de trabalho infantil nosso trabalho é de reprimir e combater. Vamos continuar nessa luta, hoje foi um ato grupal, mas vamos também distribuir os informativos nas escolas e nos unidades de saúde”, afirmou.
Segundo informações da Coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Elizamar Galvão, o Estado de Goiás ainda tem 21 mil casos de trabalho infantil. “Esse índice ainda é alto, por isso, precisamos combater de fato esse tipo de crime”.

O gerente de um dos comércios visitados, Antônio Rezende, destacou a importância do ato. “Esse trabalho foi muito interessante porque temos que ter a consciência de que lugar de criança é na escola e não no trabalho. Nós temos que cuidar do futuro do nosso país”, comentou.

A mobilização foi ordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Social, sob coordenação-geral da secretária interina Zeli Fritsche, com apoio do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, CREAS e Conselho municipal dos direitos das Crianças e dos Adolescentes.