Foto: Renato de Oliveira

Secretaria de Educação do DF abre concurso com 2900 vagas

Geral

Educação em foco para o Governo do Distrito Federal. Em entrevista coletiva na manhã desta segunda (4), no Palácio do Buriti, o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, fez o anúncio de 2900 vagas para concurso público de nível médio e superior para professores, analistas, técnicos e monitores da Secretaria de Educação. A estimativa da pasta é que os gastos com o certame seja de R$ 34 milhões em 2017 e de R$ 70 milhões em 2018 e 2019. O edital deve sair em até 40 dias.

De acordo com o governador, serão 2900 vagas concedidas para os profissionais de educação, a serem contratados nos anos de 2017, 2018 e 2019, conforme a disponibilidade orçamentária da pasta. O governador afirmou que a lista de cadastro reserva, com 250 nomes aprovados, do último certame, será respeitada.

“São vagas efetivas a serem preenchidas em substituição aos servidores que devem deixar a pasta. É a garantia de reposição de professores e profissionais da educação aposentados”, afirmou Rollemberg.

Os cargos e quantitativo de vagas serão distribuídos em: 800 vagas para contratação imediata de professores, sendo 1200 para cadastro reserva; 40 vagas para analista em Gestão Educacional, sendo 50 vagas para cadastro reserva; 230 vagas para técnico em Gestão Educacional, sendo 330 para cadastro reserva e 100 vagas para monitor de Gestão Educacional, sendo 150 para cadastro reserva.

Na coletiva, Rollemberg ressaltou outras três notícias para a Educação. O Governo irá distribuir a partir do segundo semestre de 2016, 2741 bolsas de ensino infantil, para atender a crianças de 4 e 5 anos que procuraram atendimento pelo 156 e não conseguiram o acesso. Segundo o governador, no projeto de iniciativa do Executivo, aprovado pela Câmara Legislativas, serão priorizadas as vagas para as cidades onde houve maior demanda.

“As crianças que não conseguiram atendimento à educação serão atendidas pelo programa. Temos cidades em que o setor público não conseguiu oferecer 100% de vagas nas creches públicas e conveniadas e, portanto, essas regiões serão beneficiadas com a bolsa educação infantil”, ressaltou. Ainda de acordo com o governador, o custo por cada criança será de R$ 456 ao mês e 123 instituições foram credenciadas para receber esses alunos.

Foi anunciado também que na próxima quarta e quinta-feira, será ofertado um simulado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para os 42 mil alunos da terceira série do Ensino Médio, de escolas públicas e privadas do DF. O processo segundo o Secretário de Educação, Júlio Gregório, ocorrerá em parceria com o Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e com a Universidade de Brasília (UnB), sem custos relevantes para a pasta e,servirá de base para os alunos que realizarão a prova, uma vez que seguirá todas as normas solicitadas.

“Tudo que o aluno enfrentará no Enem, ele terá a oportunidade de treinar no simulado.E mais importante que isto será a devolutiva que o estudante irá receber. Ele terá acesso a nota da redação realizada e poderá verificar em que curso ele poderia pleitiar uma vaga nas universidades públicas pelo processo”, disse.

Rollember, ressaltou que 42% dos alunos que ingressaram na Universidade de Brasília neste ano, são oriundos da rede pública de ensino e que por isso a realização do simulado é importante.
“Com o simulado, pretendemos ampliar este número. É mais um espaço e instrumento para a preparação do ingresso desses alunos.É um fortalecimento da educação publica”, ressaltou o governador.

O Governo vai oferecer ainda, 3800 vagas para os Centro Interescolar de Línguas, o CIL. Ao todo, são 15 centros que oferem cursos aos alunos da rede pública e também para a comunidade.

O governador adiantou ainda, que foi aprovado um projeto em que permite a isenção na inscrição do Programa de Avaliação Seriada (PAS), para os estudantes de escolas públicas, com renda per capita inferior a um salário e meio, em 2016 e dois salários mínimos, em 2017, receberão o benefício.

 

Fonte: Jornal de Brasilia