“Oposição terá nome de consenso”, diz Caiado

Política

O presidente regional do Democratas, Ronaldo Caiado, afirmou na manhã desta segunda-feira (26/06) em entrevista no programa Falando Francamente, da Rádio Mil, que a oposição terá um nome de consenso nas urnas para disputar as eleições do ano que vem. Segundo o senador, o momento agora é de costurar as alianças e unificar os partidos para que a oposição tenha condições de se contrapor à máquina do governo estadual com a força necessária.

Ao comparar a construção da aliança entre o PMDB, o Democratas e demais partidos de oposição em relação à do governo, o senador deixou claro que o candidato será competitivo. “Somos face da mesma moeda, a moeda que ganhou as eleições de 2014 e 2016. Nós saberemos construir a aliança para 2018 com cabeça erguida, sem nenhum candidato imposto. Ao contrário do governo, oposição não tem candidato de garupa”, garantiu.

O democrata disse que, independente de nomes, a oposição trabalha para levar às urnas quem tenha história. “Na oposição é político de verdade, que vai pra frente, que vai pras urnas, que tem coragem, que chega junto à população, que não precisa dizer seu nome, que é conhecido e já tem história de vida. Esse é o candidato que a população deseja”, avaliou.

Mais uma vez o senador afastou a hipótese de que a oposição possa chegar dividida a 2018. “Aqueles que apostam que Democratas vai marchar separadamente do PMDB e demais partidos de oposição estão enganados. Vão perder. A conversa com o PMDB é excelente, transparente, respeitosa. É uma conversa que sempre existiu de mostrar que aquele que estiver em melhores condições deve ser o candidato. Esse processo de abertura cada vez maior do debate, de buscarmos cada vez mais alianças, é fundamental. É momento de ampliação da base”, disse.

Para ele, é impensável que a oposição chegue ao primeiro turno dividida. “O processo de divisão num primeiro turno, indiscutivelmente, causa algumas dificuldades no segundo turno. E com isso não tem sentido, nós que vamos enfrentar um aparato de governo. Sabemos como eles jogam na pressão a prefeitos, a lideranças políticas”, disse.

Matéria e foto: Assessoria Senador Ronaldo Caiado