É preciso pensar na saúde do homem de maneira integrada, afirmam especialistas

Geral

Hábitos saudáveis e o acompanhamento preventivo de saúde são os caminhos para o envelhecimento com qualidade de vida. Contudo, os homens costumam dar menos atenção à saúde e realizam menos consultas médicas.

De acordo com o médico urologista Carlos Watanabe, muitos homens só procuram atendimento médico quando apresentam sintomas ou por pedido dos familiares. Segundo ele, em grande parte das vezes, o urologista é o primeiro médico a consultar o homem em decorrência da preocupação com o câncer de próstata.

Além das doenças da próstata, outras doenças urológicas podem comprometer ou atingir o pênis, a bexiga e os rins, em diferentes faixas etárias. Porém, Carlos ressalta que quando o assunto é saúde, é necessário se pensar de maneira global. “há uma preocupação cada vez maior com a qualidade de vida e a sexualidade durante o envelhecimento. As ações dos médicos e das equipes de saúde não podem ter somente finalidade de tratar doencas. Cada vez mais, medidas de prevenção em saúde integrando diferentes áreas são necessárias”.

E como identificar o câncer de próstata?

De acordo com Carlos, o câncer de próstata em estágio inicial geralmente não causa sintomas. Para rastrear o câncer de próstata, o urologista avalia o risco de acordo com a história de vida do paciente. Após, pode indicar a realização do exame de sangue PSA e realiza o toque retal.

Porém, ele destaca que alguns sintomas urinários como dificuldade para urinar; necessidade de urinar mais vezes, jato urinário fraco, reduzido ou interrompido e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, podem ser um sinal de alerta para outras doenças da próstata.  

O médico também diz que a hiperplasia prostática, que é o aumento benigno do tamanho da próstata, é causa frequente desses sintomas e que se não tratada, pode levar a infecções urinárias, retenção de urina e até perda de função renal.

Dessa forma, é importante manter o seu médico informado sobre qualquer um dos sintomas citados anteriormente para que a causa seja diagnosticada e tratada. “O diagnóstico precisa ser feito de forma precoce. É muito importante que o paciente faça os exames regulares que detectam a presença da patologia”, finalizou.

E minha alimentação?

Segundo a nutricionista Paulina Nunes, uma alimentação equilibrada proporciona melhores condições de saúde. Além disso, contribui na prevenção e controle de doenças que acometem idosos e também os mais jovens. “Com o envelhecimento vários fatores influenciam na qualidade de vida de nutrição. A digestão e absorção dos nutrientes sofrem prejuízos que são atribuídos a este processo natural. Contudo, a boa alimentação terá um papel fundamental na prevenção de doenças causadas por esse processo,” diz Paulina.

Como cuidar da minha visão?

A visão é algo essencial em nosso dia a dia e precisamos mantê-la em boas condições ao longo do tempo. Segundo o médico oftalmologista André Seabra  a maior incidência de doenças como diabetes e hipertensão arterial também pode aumentar as chances das doenças oculares se desenvolverem.

Contudo, André salienta que a melhor forma de manter uma boa saúde ocular durante toda a vida é mantendo uma boa qualidade de vida. “A primeira coisa é ter uma alimentação saudável, rica em folhas com coloração verde-escura, como por exemplo, acelga, agrião e couve. E alimentos coloridos, como beterraba e cenoura. Esses alimentos possuem propriedades que podem fortalecer a retina. Nossos olhos, assim como nossa pele, precisam da umidade. Por isso, é necessário umidificá-los de vez em quando, e ainda mais, aqueles que costumam apresentar certa sensibilidade nos olhos ou senti-los secos, principalmente aqui em Brasília, por conta do clima. Ande com um colírio receitado por um oftalmologista na bolsa, para manter os olhos sempre bem hidratados”, lembra.

Vale lembrar que caso não haja nenhum histórico familiar de doença visual, a Sociedade Brasileira de Oftalmologia recomenda uma visita ao médico oftalmologista aos 40 anos, quando costumam aparecer os primeiros sinais de presbiopia (vista cansada). A partir dessa época, as consultas ao oftalmologista devem ser anuais com o objetivo de detectar precocemente o glaucoma, a retinopatia diabética e a catarata. Todas podem levar à cegueira.

 

Cuidados com o coração

Cuidados e alertas que ajudam a prevenir doenças cardiovasculares e contribuem com o bem-estar, diz o cardiologista Thiago Oliveira. Segundo ele, os pacientes que possuem histórico familiar com fatores de risco, como hipertensão, diabetes, colesterol alto, sedentarismo ou tabagismo, necessitam de avaliação clínica mais precoce.

O médico também lembra que não é somente o idoso que precisa cuidar da saúde do coração, como se pensava alguns anos atrás. Ele ressalta que hoje, o estilo de vida moderno tem contribuído cada vez mais para que pacientes mais novos tenham problemas cardíacos e metabólicos por conta do sedentarismo e do tabagismo.  

Para Thiago é preciso realizar um trabalho em conjunto com outros especialistas, além da colaboração do paciente. Segundo ele, para prevenir ou detectar as doenças cardíacas algumas recomendações devem ser seguidas, como a prática de atividade física orientada; ter uma alimentação mais saudável; ficar atento ao peso; não usar medicamentos sem orientação médica e não fumar. “O ideal é ter uma equipe integrada para tratar o paciente. Não somente no cardiologista, endocrinologista, urologista ou o clinico. Não podemos segmentar o paciente por partes. Temos que despertar o interesse dele a ter uma referência de outros profissionais para fazer a continuação”, disse.

Onde buscar tratamento?

O Aliança Centro Médico, situado na cidade do Gama-DF, possui uma equipe multidisciplinar composta por cardiologistas, urologistas, oftalmologistas, nutricionistas e psicólogos. Atualmente o Núcleo de Saúde do Homem constitui iniciativa pioneira na atenção a saúde masculina na região.

Sobre os médicos

Dr Carlos H. Watanabe Silva

É urologista especializado em Uro-Oncologia e Transplante Renal. Graduado na Universidade de Brasília, tem residência em urologia pelo Centro de Referência do Homem do Estado de São Paulo – Hospital Bridageiro e em transplante renal pelo Hospital do Rim e Hipertensão do Estado de São Paulo/ UNIFESP. Membro da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) e da American Urology Association (AUA).

Paulina Nunes

É nutricionista Clinica/Funcional e Oncológica. Graduação em Nutrição pela UNIEURO (2011). Possui residência em nutrição clinica pelo Hospital de Base – HBDF. É especialista em Oncologia pelo Hospital Albert Einstein – SP e também em nutrição Funcional pela UNICSUL/VP.

André Seabra

É graduado na Escola Superior de Ciências da Saúde – ESCS. Possui residência em visão pelo Instituto oftalmológico – FELLOWSHIP e setor de catarata visão institutos oftalmológicos.

Thiago Oliveira

É graduado pela Faculdade de Medicina de Petrópolis-RJ. Especialização em Cardiologia pelo Instituto Nacional de Cardiologia de Laranjeiras-RJ.  Com formação em Ecocardiografia na Santa Casa de Misericórdia do Estado do Rio de Janeiro e Pós-graduação em Lato Sensu em ultrassonografia cardiovascular pela FATESA-SP. É membro titulado da Sociedade Brasileira de Cardiologia.