Crianças ocupam o Teatro Dulcina de Moraes em curso livre de Teatro Infantil

Geral

A expressão “o lugar de onde se vê” está na essência original da palavra grega “teatro”. Em Brasília, o Teatro Dulcina, importante patrimônio cultural da cidade, se tornou palco principal para diferentes ações para a sua revitalização cultural. Agora é a vez de crianças ocuparem o espaço como parte desse movimento.

Essa é a proposta do primeiro Curso Livre de Teatro Infantil da Fundação Brasileira de Teatro (FBT). As aulas fazem parte das ações de revitalização do Teatro Dulcina e do Ocupa Dulcina, movimento da sociedade civil que promove projetos e eventos culturais no prédio que abriga a FBT.

Voltado para crianças entre 4 e 12 anos de idade, o curso busca introduzir os participantes no universo da linguagem teatral por meio de exercícios, jogos, improvisações e criação de cenas. A criança aprende se divertindo, mas com atividades que proporcionam o desenvolvimento das capacidades de expressão, organização dos sentimentos e processos criativos.

“O teatro é um espaço de brincar. O grande desejo é fazer a criança experimentar as diversas linguagens expressivas de forma lúdica. A criança descobre o corpo, aprende a socializar, imagina, resolve problemas e convive com o outro” diz Kika Oliveira, professora do curso.

Desde 2011, Kika investiga o teatro infantil procurando fugir do lugar-comum.  Ela criou um método que tem como objetivo ampliar a consciência corporal, a autonomia e a criatividade de cada aluno e em boa parte dessa criação conta com a sua parceira Gleyce Lima, a famosa Tonto, atriz e arte educadora, que entra em processo criativo ao lado de Kika onde sempre finalizam com ótimos resultados.

“Quando entramos em nosso processo criativo, esquecemos de tudo que está lá fora, sempre em busca do melhor, de um jeito que as crianças possam sempre explorar o que elas têm de melhor, a imaginação”, diz Tonto.

“O teatro e a arte têm a capacidade de potencializar quem somos. As histórias podem ser pensadas como modos de a criança alimentar o sonho e conhecer a si mesma, ao outro e ao mundo”, acredita a professora.

Uma das características das aulas é a mistura e o convívio entre crianças de diferentes faixas etárias. “Cada criança tem algo a ensinar. As mais velhas apoiam os menores. O que fazemos é uma troca de conhecimento em que todos aprendem e ajudam o outro a aprender”.

O curso também é aberto para crianças com necessidades especiais. A ideia é ampliar o projeto para que mais pacientes tenham acesso ao fazer artístico. A Fundação Brasileira de Teatro também disponibilizará bolsas para crianças de baixa renda e em situação de vulnerabilidade.

“O teatro que proponho é para toda criança. Com o apoio da Fundação Brasileira de Teatro queremos que cada pessoa seja tratada com base no seu potencial e não nas suas dificuldades”, diz Kika.

Crianças ocupam o Teatro Dulcina de Moraes em curso livre de Teatro Infantil (2)Ao final do semestre, os alunos apresentam ao público um espetáculo infantil criado por eles mesmos, a partir de um processo criativo coletivo que trabalha o amplo repertório da cultura brasileira.

Em sua primeira temporada, o projeto tem parceria com a Orquestra Sopro Sinfônica, formada por jovens músicos do projeto social que atua no Paranoá. A orquestra vai interpretar ao vivo as músicas do espetáculo do final do semestre.

Um convite para mergulhar no universo criativo, na imaginação e na capacidade de conhecer a si mesmo a partir do olhar da criança.  

Serviço

Curso Livre de Teatro Infantil da Fundação Brasileira de Teatro

Professor: Kika Oliveira

Local: Faculdade Dulcina de Moraes

Sábados Das 09h00 às 12h00

Pré-requisito: a partir de 4 anos

Informações e inscrições:

Fone: (61) 8567-8550

E-mail: ciateatralkiketes@gmail.com