Chico Vigilante da Tribuna: “Não admito ataques à minha família”

Política
Vigilante recebeu apoio de parlamentares e sindicalistas. Logo após, nas salas das Comissões uma reunião com manifestações dos líderes sindicais e um documento de apoio da CUT.

O deputado Chico Vigilante (PT) foi à tribuna da Câmara Legislativa, na primeira sessão após ao carnaval, para rechaçar com veemência informações publicadas nas mídias sociais envolvendo sua família. Agradeceu o apoio e solidariedade que vinha recebendo contra os ataques do que chamou de uma quadrilha instalada na Câmara Legislativa. Ao lado da esposa  e filhos, o apoio dos sindicatos e sindicalistas.

“Comigo tu pode fazer o que tu quiser”, assinalou Chico Vigilante. “A única coisa que não admito deputada Érica Kokay, agradeço a presença de vossa excelência; é ataque à sua família.  A minha família é sagrada. Eu moro no mesmo lugar há mais de 30 anos, casado com a mesma mulher, e tenho dois filhos. ”

Portanto, acentua o deputado Vigilante, eu não vou admitir, que pessoas, segundo foi captado pelo áudio, legal, não dá para dizer que é armação porque foi captado pela polícia, inclusive autorizado pela justiça a instalação, envolvam minha família. “Ouvi dizer que iriam vasculhar a minha vida, as minhas vidas podem vasculhar. Ora, a minha vida é vasculhada desde os tempos do SNI por todos os órgãos de comunicação, e nunca descobriram nada, porque eu não tenho nada a esconder. ”

Agora dizer, vamos levantar a vida do Chico, do filho do Chico Vigilante, para através disso prejudica-lo e inquietá-lo eu não admito. O deputado Wellington sabe que dentro da Polícia tem um código, não mecha com a família; código de honra das famílias. Portanto, não mecham com a minha família. ”

Chico Vigilante repetiu uma frase que já havia dito: “tem uma quadrilha dentro da Câmara Legislativa; não citei nome de deputados. Agora eu pergunto a qualquer um dos senhores aqui, menos ao deputado Wellington que é policial, é investigador. Alguém que vai investigar a vida de uma pessoa para fazer covardia, é ou não é uma quadrilha? Não tem outro nome, é quadrilha. ”

Vigilante, perguntou ao deputado Chico Leite que é promotor: “Alguém que vai investigar a sua vida, ou da sua família, é ou não é uma quadrilha? É quadrilha. E com quadrilha eu não convivo. E essa casa não pode deputado Reginaldo Veras, conviver com quadrilhas. Com ameaça, com chantagem. ”

Afirmou que “não adianta querer usar agora a política do gambá. Quer espalhar fedor, para o seu fedor espalhar nos outros; em mim não. Não venha com fedor para jogar em mim, porque eu estou imune a esta catinga. Não pode ter fedor, ”disse o petista.

O deputado Chico Vigilante fez um apelo aos deputados: “Disseram aí que vai dar processo de cassação do meu mandato. O deputado Wellington é vice-presidente da Casa, faz parte da mesa diretora. Eu quero fazer um pedido para vocês; se chegar esse pedido, imediatamente desfaçam. Não deixem na mesa, porque é chantagem. Se essa mesa apura, tem fundamento? Deputado Wellington, manda investigar. Não tem, arquiva dizendo que era uma tentativa de chantagem. Aqui não pode ser a República dos bandidos, não pode. ”

Crítica aos Blogs

Outra coisa, não adianta ficar plantando determinados blogs aí para me atacar. “Tem um cidadão chamado Guilherme Pontes que eu liguei para ele e disse, vou processá-lo. Porque eu não faço escondido, vou processá-lo. Porque ele escreveu que tinha demitido uma funcionária com câncer. Onde que eu, sindicalista, defensor de trabalhadores e de trabalhadoras, especialmente das mulheres, vou demitir uma funcionária com câncer? É mentira senhor Guilherme Pontes, você será processado. Vai ter que provar que eu demitir uma funcionária com câncer, porque não estava. Funcionário de gabinete desliga-se a hora que não estão compatíveis com as diretrizes, ou, não é assim? Agora se cada um que for demitido sair ameaçando deputado e você ceder à chantagem, aí você está errado. ”

Ninguém Virgem

Por último, Chico Vigilante, chamou atenção para essa frase deputado Wellington, “não porque aqui não tem ninguém virgem”, se é do ponto de vista do circuito da virgindade, quero dizer que todos nós aqui somos pais de família, todos nós; então não tem virgem. Agora se é no sentido de dizer que todo é igual, deputado Rodrigo Delmasso, não é., portanto não botem também no balaio de estupradores da sociedade, dos gastadores de dinheiro alheio, porque eu não faço parte. E a maioria dessa casa não faz parte, a maioria não faz parte. Posso ter divergência com o deputado Bispo Renato, mais próximo, deputado Chico Leite que é Promotor que está ouvindo essa história de que não tem ninguém virgem aqui, o deputado precisa vim dizer quem são os estuprados. Estuprado que eu estou falando não é no sentido literal não, é no sentido do dinheiro público, no sentido da negociata, estou falando no sentido dos almoços de negócios que eu nunca participei. Porque essa gente está sempre deputado Cláudio Abrantes, alguém dizer que não tem virgem e ficar tudo quieto, parece que é um balaio de malfeitores; e nós não fazemos parte de balaio de malfeitores”, disse Chico Vigilante.

“Não Tenho Medo de Nada”

“Por último, mais uma vez eu quero prestar a mina solidariedade, porque eu sou de uma terra em que ninguém come nada de ninguém. E dizer, tenho dito para vários deputados; quem for podre que se quebre”, afirmou vigilante. E continuou: “ Mas não venha querer colocar a sua catinga para cima de mim, porque esse mau cheiro me faz mal. Portanto eu vou continuar agindo como sempre eu agi na minha vida, em nome de Israel. Porque Deus simplesmente me poupou do sentimento do medo, não tenho medo de nada, só tenho medo do castigo de Deus, e Deus só castiga quando você está fazendo errado. Se eu não estou fazendo errado, não tem castigo. Agora antes de soltarem estas coisas, porque não foram lá no Ministério Público e apontaram quem eram a não virgem do ponto de vista ético. Vai lá e diz olha, o Chico Vigilante fez isso e isso e isso, apura. Agora dizer que não tem ninguém virgem e a casa se calar, aí fica parecendo que a gente é um covil de bandidos; e isso nós não podemos aceitar”, concluiu.

Com informações da Agência Digital News