Aprovadas emendas de Caiado que defendem funcionários da Celg

Política
O líder do Democratas Ronaldo Caiado (GO) conseguiu incluir três itens na Medida Provisória 735/16, que trata de mudanças na legislação do setor elétrico.
O texto foi modificado pelo relator, deputado José Carlos Aleluia (Democratas-BA), no sentido de proteger funcionários da Celg, distribuidora de energia elétrica de Goiás. Aprovada nesta quarta-feira (19/10), a medida segue agora para a sanção presidencial.
As medidas visam manter 90% das vagas e 70% dos empregos por dois anos depois da privatização; a possibilidade do governo alocar antigos funcionários em outras empresas públicas; e destinar os recursos da venda à quitação de dívidas vencidas ou a vencer com a União.
A intenção do senador foi barrar a a estratégia do governador goiano Marconi Perillo que tenta forçar a Eletrobras a se desfazer da empresa e de seu quadro de funcionário após anos de endividamento pelo governo de Goiás. Em negociação anterior, Marconi já havia assumido para o estado todo o passivo trabalhista da empresa gerando uma dívida milionária para os cofres goianos.
“Queria aplaudir o trabalho do deputado Aleluia que relatou a matéria. Esse foi um trabalho feito por nós, acolhido pela comissão e agora aprovado pelo Senado. Pelo menos, os funcionários da Celg não vão sofrer com os desmandos do governador Marconi e estarão protegidos para achar outras alternativas em outros órgãos da União”, comemorou Caiado em plenário.
Foto: Sidney Lins Jr